HomeTurismoGuatemalaO que fazer na Guatemala, 10 atrações imperdíveis para visitar no país

O que fazer na Guatemala, 10 atrações imperdíveis para visitar no país

-

Antigas ruínas maias, cidades coloniais encantadoras , comunidades indígenas, vulcões ativos e um dos lagos mais bonitos do mundo prometem te surpreender durante uma viagem inesquecível à Guatemala. De Tikal a Antigua, nós separamos nossa lista com 10 atrações imperdíveis para incluir no seu itinerário. Pega a caneta e vem com a gente, que tem muita dica legal.

1. Passe um fim de semana em Antigua, a cidade mais charmosa da Guatemala

Considerada Patrimônio Mundial da UNESCO, basta entrar na cidade para entender porque Antígua precisa estar no topo da to-do list de qualquer viajante que vai para a Guatemala. Repleta hotéis boutique super aconchegantes, ótimos restaurantes e muitas atividades, esta encantadora cidade de estilo colonial diz muito sobre a cultura do país. Aliás, se você ainda não reservou seu hotel, super recomendo ficar pelo menos um fim de semana por lá. Visual, comida, vida noturna, a cidade oferece um pouco de tudo. Conhecida por sua rica história e sua decoração cheia de charme, o monumento mais emblemático poe lá é o Arco de Santa Catalina. A foto emblemática que já virou cartão postal do país, consiste em enquadrar o Volcán Agua sob seu arco, que foi construído ainda em 1694 e hoje fica rodeado de oportunidades para observar os artesãos, que transformam os produtos locais em arte ali nas redondezas. Muitos pontos turísticos de Antigua ficam localizados em uma região de 8 quarteirões e basta algumas horas para explorar o centro da cidade. A Cooperação Espanhola, o Convento Capuchinas e o Mercadão de artesanatos são alguns locais que não podem ficar de fora da visita. Além de comprar a lembrancinha perfeita dos artesãos, o local é perfeito para se aventurar fabricando seu próprio chocolate. Considerado descendente dos deuses, o cacau é um alimento popular, muito apreciado em todo o país. Ele vem em várias formas, desde chocolate quente até barras sólidas com especiarias.

Por ser uma das cidades mais compactas da Guatemala, a melhor maneira de se locomover na cidade é simplesmente caminhando! A maioria dos hotéis e agências de turismo oferece um ônibus de Guatemala City (capital) para Antígua. Eu por exemplo, optei por ficar em Guatemala City, mas ia no início da manhã e voltava no fim quase que diariamente de Antigua. Achei a cidade bem mais segura e gostosa para bater perna enquanto estava sozinha no país.

Dica: Vale lembrar que a Semana Santa, é uma época muito importante para os católicos na Guatemala. Como muitos acreditam que a celebração que acontece em Antígua é a mais bonita do mundo, milhares de moradores lotam as ruas para procissões e vigílias nesta época. Certifique-se de planejar com antecedência se sua visita for nesta época.

2. Faça um trilha e asse marshmallows no vulcão Pacaya

A Guatemala tem 37 vulcões no total. Ao viajar pelo país, embora seja fácil de fazer uma trilha por conta própria, contratar um um guia é sem dúvidas essencial. As cinco trilhas vulcânicas que são consideradas mais bonitas e possuem fácil acesso para iniciantes são: Vulcão Chicabal e Lago Chicabal, Vulcão Santa María, Vulcão Acatenango, Vulcão Fuego e Vulcão Pacaya.

Durante a nossa viagem decidimos fazer uma hiking pelo incrível Vulcão Pacaya. A caminhada foi de cerca de 3,5 milhas com ganho de elevação de 1.430 pés. Além das impressionantes vistas do topo, uma das coisas mais interessantes desta caminhada é que o Vulcão Pacaya permanece ativo. Ao longo do caminho, conseguimos ver pontos quentes com fluxos de lava e campos de magma. E o mais legal, foi que tivemos a experiência de assar marshmallows e comprar lembranças feitas com lava em uma loja local que fica no meio da trilha. Comprei brincos especiais. 😉 A entrada do parque com guia custa cerca de US$ 25 (200 Quetzales). Você pode pagar a passagem na entrada do parque ou combinar toda a viagem com a agência de sua preferência. Mas repito, não me senti segura e não recomendo andar sem um guia por lá.

3. Visite uma Finca para conhecer o autêntico café da Guatemala direto da fonte

Quem me acompanha sabe que eu amo café, e os coffee lovers de plantão provavelmente já sabem que este é um lugares ideias para fazer um tour de café. Qualquer agência de viagens pode organizar este passeio. Visitamos La Finca Filadelfia.

Finca de Café na Guatemala
Visitando uma finca de Café na Guatemala

O Filadelfia Coffee Resort, propriedade que possui um hotel de gerência familiar, também produz café desde 1864, oferecendo tours onde você pode visitar desde a plantação, passando a entender um pouco mais de todo o processo realizado para criar um dos cafés mais renomados do mundo. Os hóspedes podem solicitar serviços de transporte de e para o Central Park de Antigua, que estão disponíveis 5 vezes ao dia e são gratuitos. No final do passeio, você pode degustar os cafés e comprar os mais exclusivo deles que é torrado na hora. Adoramos o passeio.

4. Relaxe no belíssimo Lake Atitlán

Cultura indígena, montanhas, vulcões, no Lago Atitlán você pode presenciar um pouco de tudo que torna a Guatemala especial em um só lugar. Por ter uma temperatura constante de 25 graus Celsius, o lago é conhecido como a “eterna primavera” e atrai não apenas visitantes aventureiros querendo explorar os arredores no nascer do sol, mas também casais românticos que tentam relaxar em um dos hotéis paradisíacos da região. E acredite, tem muitos deles por lá.

Situado nas Terras Altas da Guatemala, na Cordilheira de Sierra Madre e ainda cercado por três vulcões: San Pedro, Atitlán e Tomlimán, o lago vulcânico promete te transportar para outro mundo e é um lugar muito especial para se hospedar para ter uma perspectiva diferenciada do país. Durante a nossa estada escolhemos o  La Fortuna Atitlán, que é considerado um dos 10 melhores pequenos hotéis do mundo para ficar. Foi uma grande surpresa, pois o lugar é mágico!

Super recomendo que escolha o Lago Atitlán como sua base e prepare-se para pelo menos 2 dias de aventura ao redor deste lago deslumbrante. Você precisa chegar nos hoteis de barco, e saiba que além dos turista, também tem barco que funciona como transporte público circulando constantemente entre as aldeias, comunidades e cidades na beira do lago. Seu hotel provavelmente vai te instruir com todos os detalhes para um fim de semana bem agradável no lago.

5. Explore a comunidade local e as vilas da Guatemala

Panajachel é o centrinho movimentado que acolhe diariamente viajantes e turistas locais que precisam chegar aos seus hotéis ou desejam visitar as aldeias mais próximas que retratam muito a cultura local.

Saindo das redondezas do Lago Atitlán, você pode pegar um barco de Panajachel para visitar as seguintes cidades da região:

A vila mais animada e com maior número de mochileiros, bares e albergues é San Pedro La Laguna. Já San Marcos La Laguna é uma espécie de paraíso hippie repleto de estúdios de ioga, centros holísticos e oficinas de bem-estar. Enquanto o centro cultural que combina a vida tradicional maia com restaurantes, lojas e agências de turismo é San Juan La Laguna. Estas vilas são menores e menos frequentadas, mas possuem comidas autênticas e atividades culturais podem proporcionar um dia inteiro de passeio. Os moradores desta área mostram seus talentos com representações da história maia e das tradições ancestrais através de murais e pinturas. É lindo e divertido.

Certifique-se de reservar pelo menos um dia de sua viagem para explorar estes vilarejos ao redor do Lago Atitlán, e saiba que os turistas são alertados para não andarem sozinhos entre as aldeias, principalmente à noite!

6. Aprecie as vistas encajadoras do alto do Indian Nose – o nariz do Indio

Um passeio popular que você ver com frequência nas vitrines das agências de viagens em qualquer uma das cidadezinhas próximas ao Lago Atitlán é o La Nariz del Indio, também conhecido como Face Maia ou El Rostro Maya – em espanhol. A trilha leva até o ponto mais alto do Lago Atitlán e tem este nome porque como o nome sugere lembra o nariz de um índio. A caminhada até o mirante dura cerca de 45 minutos e as vistas do topo são incríveis. Passeios guiados nos horários que contemplam o nascer ou o pôr do sol são disputadíssimo por lá. Fizemos a trilha que incluía transporte e evitamos ir nos horários de pico para evitar aglomerações, mas garanto que você não vai se arrepender de visitar, independente do horário.

A trilha é popular principalmente no nascer do sol porque o Lago Atitlán se torna cada vez mais visível à medida que o sol se surge sobre o lago, revelando panoramas perfeitos da paisagem com os três vulcões icônicos contrastando fortemente com o céu. É uma ótima maneira para começar bem o dia, não é mesmo?

Eu estava de havaianas no dia pois a ideia era dar uma volta e não se aventurar em uma trilha, mas fui mesmo assim de chinelo de dedo e não recomendo. 😛

7. Mergulhe na cultura Guatemalteca

Você já teve curiosidade para entender como a a comunidade indígena maia vive? Por que o milho é tão importante na história e na cultura da Guatemala? Na aldeia isolada de Saint Laguna Lachua, a comunidade Q’eqchi recebe você para compartilhar mais sobre suas rotinas. Mesmo que você não tenha a oportunidade de visitar as aldeias remotas, algo que chamou muito minha atenção foi observar como o milho é incorporado em cada refeição. As tortilhas por exemplo, são a base para tudo: café da manhã, almoço e jantar. Para os Q’eqchi, o milho é representa Deus, força central na história da criação e portanto, deve ser o produto base nos alimentos.

Um passeio bem popular para se aprofundar na cultura é visitar o Mercado Chichicastenango (também conhecido como “Mercado Chichi”), que é uma das feiras mais vibrantes da América Central. O mercadão, que comporta um pouco de tudo, fica a aproximadamente duas horas de carro do Lago Atitlán. Artesanato, têxteis, esculturas em madeira, cerâmica, jóias, frutas, verduras, carne e utensílios domésticos, fica tudo junto e misturado, ao lado de igrejas onde você também pode orar e entender mais sobre a fé da comunidade local que fica numa vila bem remota entre ruas acidentadas e igrejas com calçadas repletas de velas. Chichicastenango é conhecido por ser um centro comercial há centenas de anos e é considerado pelos locais o lugar ideal para entender sobre a cultura local da Guatemala.

O mercado abre apenas às quintas e domingos. Achei bem longe considerando que as entradas são de chão batido e são quase 5 horas para ir e voltar da capital. Para quem não quiser ir muito longe, vale comentar que o Lago Atitlán é o centro das cooperativas de tecelagem e de café produzido por mulheres. Os têxteis tradicionais são vendidos em toda a Guatemala, sendo que as comunidades do Lago Atitlán são quem abastecem os mercados e lojas de todo o país. Nas Tecelãs Atitlán, em San Pedro, os visitantes podem contribuir com a economia local comprando joias, lenços, cobertores, bolsas e roupas feitas à mão. Os visitantes podem assistir como os tecelões transformam o algodão em tecido sustentar ou visitar as plantações de café onde o são cultivados e colhido organicamente. O passeio de barco pelas aldeias custa US$ 2 e os barcos públicos param em frente aos hotéis. A Casa Flor Ixcaco é a fazenda mais visitada da região.

8. Visite Guatemala City, a capital e onde tudo acontece na Guatemala

Como qualquer outra capital, a Cidade da Guatemala tem um trânsito daqueles e chega a ser tentador focar os passeios nas cidadezinhas menores. No entanto, os museus, o mercado central e a arquitetura colorida da capital fazem valer a pena passar pelo menos 2-3 dias explorando a capital do país. Decidimos reservar um passeio turístico de um dia inteiro com a agência de viagens do hotel.

O Chicken Bus (transporte local) não é recomendado para turistas, então o guia ou um amigo de confiança são as melhores alternativas para explorar a cidade com pouco tempo. A Zona Viva (Zona 10) é onde está localizada a maioria dos hotéis da de Guatemala City, esta região está repleta de lugares bons que sabem como atender bem os turistas. Para comer e passear recomendamos fortemente o Fontabella – os restaurantes são de primeira linha e a decoração bem tradicional.

E se você quiser desfrutar de uma autêntica panaderia #thebestpatriesinthecity não deixe de ir a San Martin. (Mesmo que o seu hotel tenha café da manhã incluso, faça um favor para você mesmo e vá pra lá!). Ficamos no Westin Camino Real, o hotel é ótimo e próximo de tudo.

9. Explore as ruínas maias de Tikal – O parque Nacional mais incrível da Guatemala

Uma as atrações mais relevantes para incluir no seu roteiro certamente são as ruínas maias. O Tikal National Park é tem o mais importante sítio arqueológico do país. Este lugar mágico é patrimônio mundial da UNESCO e um dos atrativos mais populares para se visitar na Guatemala.

Tikal National Park na Guatemala
Tikal National Park na Guatemala

O parque nacional fica no norte do país (não muito longe da fronteira com Belize) e os tours que levam ao parque saem das principais cidades do país. Eu fiz o passeio saindo de um dos menores aviões que viajei na vida, em um voo de aproximadamente uma hora até Flores, de lá um ônibus dá acesso ao parque. Os tours geralmente incluem voos de ida e volta, almoço, guia e entrada de um dia no Parque Nacional.

As ruínas de Tikal podem ser facilmente exploradas em um único dia, mas se você decidir ficar na região a cidade mais próxima é Flores. A maioria dos visitantes fica na área para assistir ao nascer do sol, quem é de fora do país confirma que é uma experiência fascinante poder acordar ouvindo todos os animais acordando na selva!

A história do assentamento em Tikal remonta a 1000 AC e as ruínas maias ficam no meio do verde, sendo que os templos e pirâmides podem ser facilmente acessados em uma caminhada simples. Não importa quais lugares você decida adicionarão seu itinerário, caminhar pelas ruínas deste Parque Nacional único será o destaque de qualquer férias na Guatemala.

10. Nade nas águas turquesas de Semuc Champey

Faltou alguma coisa? Sim, uma atração que gostaria muito de ter visitado e super recomendo que você inclua no roteiro é Semuc Champey. As piscinas de cor turquesa de Semuc Champey e as praias de areia negra de Monterrico ainda fazem parte da minha bucket list na Guatemala, mas tiveram que ficar de fora desta viagem, já que o tempo era limitado. Uma ótima desculpa para voltar, não é mesmo? Me conta quais as atrações que mais te inspiraram a visitar neste lindo país e o que não pode ficar de fora da sua programação.

Boa viagem!

Waldana
Waldana
Inspirada por uma das lições mais valiosas do Vale do Silício: dê o seu melhor que a vida retribui, resolveu juntar sua experiência no segmento educação internacional, seu amor por viagens e seu entusiamo por novos negócios criando o blog para compartilhar um pouco de tudo que sabe e aprende todos os dias.

Leia Também

Ilha dos Flamingos em Aruba

Tudo que você precisa saber para visitar a ilha dos flamingos...

0
Planejando uma viagem para Aruba? Neste post vou te contar tudo o que você precisa saber para visitar a famosa ilha dos Flamingos em Aruba.
Skydiving em Dubai - em cima da ilha The Palm

Skydive em Dubai, a experiência de saltar em cima do cartão...

0
Eu pulei de um avião e tenho a foto mais linda da vida! Saiba como é a experiência de fazer Skydive em Dubai.
Gold Cappuccino no Atmosphere restante do Burj Khalifa em Dubai

A experiência de tomar o café com ouro em Dubai

0
Pega turista ou uma experiência imperdível? Neste post conto sobre a experiência de beber o café com ouro em Dubai.