A experiência mais marcante da minha vida: 2 anos como Au Pair!

4
5097
Josiane em San Francisco

Foi falando sobre experiências emocionantes de intercâmbio que conheci a Josiane Bravo. Esta guerreirinha que largou o conforto de casa para passar 2 anos nos Estados Unidos como Au Pair. A Josi tem um jeito lindo de ver uma solução para cada um dos problemas que enfrenta. Ela escreveu páginas quando perguntei se poderia contribuir para o blog, mas em momento algum falou sobre o câncer que enfrenta, um exemplo de quem foca somente em coisas boas para viver de bons momentos.

Josiane no programa de Au Pair em San Francisco
Josiane no programa de Au Pair em San Francisco

Falando em coisas boas, aí vai o depoimento dela:

Programa de Au Pair nos Estados Unidos – A experiência de Josiane Bravo

No ano de 2013 eu deixei o conforto de casa, meu trabalho, amigos e minha família para embarcar em uma viagem que se tornou a experiência mais “marcante” e importante da minha vida. Fui para os Estados Unidos fazer o programa de Au Pair. O intercâmbio tem a duração de 1 ano, mas como tive a oportunidade de estender, acabei ficando 2 anos.

A famílias e as crianças

Escolhi uma família turca que morava há mais de 12 anos em Nova Iorque. Optei por esta família porquê eu tinha gostado deles logo na entrevista para a seleção do programa e também porque quem é que não quer morar em Nova Iorque? Não me arrependo da escolha pois durante eles me trataram muito bem. Como eram turcos, além de conhecer a cultura americana, também tive a oportunidade de aprender um pouco mais sobre a cultura turca. Todos os dias eles me chamavam para jantar – a comida turca é maravilhosa! Nunca me faltava nada e eles até me davam um extra no dia do pagamento. O único ponto negativo foi a educação das crianças, não quero entrar em detalhes, mas não tem como você saber se as crianças serão fáceis de cuidar até o momento conhece elas de fato. A chave para o sucesso da au pair é realmente gostar de crianças e ter muita PACIÊNCIA. Dependendo da família, as crianças podem lhe dar muito trabalho e esta foi minha experiência. Eu era responsável por um casal, uma menina de 6 anos e um menino de 8.

No segundo ano, eu decidi estender o programa mas com outra família, pois queria conhecer um novo lugar, ter uma experiência diferente e morar de fato com uma família americana. E eu mudei para a Baía de San Francisco, onde passei meu segundo ano. A cidade era Oakland, 20 minutos de San Francisco de trem – o famoso Bart. Minha experiência foi ímpar, eu morei com um casal de gays super fofos que me tratavam como membro da família. Eu cuidei de um casal de gêmeos, que ao contrário das crianças da família anterior eram super educados e fofos. Quando nos falamos a primeira vez por Skype, não tive dúvida que seria a família perfeita. Um dos dads é gerente de um banco, a família é rica, mas são muito simples e acolhedores.

O inglês

Como o meu inglês não era muito fluente, no início tive um pouco de dificuldade, pois literalmente faltavam palavras na hora de chamar a atenção das crianças, acho que isso acabou atrapalhando, mas nada que o tempo não resolvesse. Depois de 3 meses nos Estados Unidos, percebi que meu inglês tinha melhorado muito já sabia me comunicar sem parar para formular as frases. (O curso de inglês é assunto para outro post).

As férias, ah as férias!

A minha parte preferida de ser au pair foi conhecer lugares novos, viajar. Aliás, este é o motivo que levam tantas pessoas a participar do programa. Em 2 semana de férias, é possível fazer uma super viagem se você souber se programar, este período pode ser dividido, e no meu caso, escolhi tirar 1 semana de férias no mês de agosto e a outra semana de férias foi a família quem escolheu. Durante o programa eu cheguei a conhecer 13 estados dos Estados Unidos. Conheci lugares fantásticos como Havaí, Alasca, California, Grand Canyon, Las Vegas, Los Angeles, entre outras cidades menos conhecidas durante as viagens curtas que fiz durante os finais de semana. E sim, eu recebia 200 dólares por semana!Se você for organizada e souber controlar seu dinheiro, é possível. Além disso, viajar nos Estados Unidos é bem mais barato se compararmos com o Brasil.

As amizades, digo: minha nova família!

Fiz várias amizades com au pairs de outras nacionalidades e claro, com as brasileiras. As au pair são muito unidas! Não precisa dizer que essas amigas se tornaram minha família, eu podia contar com o apoio delas o tempo inteiro. Através dos grupos no facebook e dos e-mails e perfis disponibilizados pela agência eu pude conhecer várias meninas que moravam na região.

A experiência como au pair

Nestes dois anos como au pair eu morei nos dois estados mais “famosos” dos Estados Unidos. Morar na California e Nova Iorque é o sonho da maioria das au pairs, e eu tive esse grande privilégio.

Falar sobre a minha experiência como au pair é como voltar no tempo, poderia ficar aqui escrevendo durante dias sobre as minhas viagens, sobre o que aprendi durante os 2 anos que morei lá, sobre as grandes amizades que fiz. O que posso dizer é que esse intercâmbio mudou completamente minha vida, o meu jeito de ser, o modo de pensar.

Antes do intercâmbio eu era um pouco imatura e muito dependente dos meus pais. Deixei o conforto de casa para viver em um país desconhecido e com uma família da qual eu só vi e falei através do Skype, isso foi um grande aprendizado para mim. Parece que eu realmente comecei a andar com “meus próprios pés”. Aprendi a ser mais organizada financeiramente, ter mais paciência, a dar mais valor a minha família. Só a distância e falta da companhia dos seus pais vão lhe fazer pensar o quanto sua família é importante! Aprendi também a dirigir na neve e agora eu não só sei cozinhar, como sei fazer uma deliciosa comida turca!

Não foram só flores, eu tive que passar por cima do medo, desenvolver a paciência e chorei de saudades! Mas todos estes “perrengues” durante o meu intercâmbio, não conta quando comparado com todas as coisas boas que pude vivenciar. Ser au pair foi sem dúvida foi a melhor fase da minha vida e todos os dias eu recordo sobre o que vivi e aprendi 😀

CARPE DIEM

Josiane – Obrigada pelo depoimento lindo e pelo carinho! E quem quiser saber mais sobre o programa de au pair e dicas sobre viagens nos Estados Unidos, a Josi escreve um blog super legal: Uma turista nas nuvens! Mas em breve você vê ela por aqui de novo, porque o depoimento rendeu vários posts 😀

Artigo anteriorSobre se hospedar no coração de SF
Próximo artigoTour e degustação de azeite de Oliva: Il Fiorelo
Waldana
Inspirada por uma das lições mais valiosas do Vale do Silício: dê o seu melhor que a vida retribui, resolveu juntar sua experiência no segmento educação internacional, seu amor por viagens e seu entusiamo por novos negócios criando o blog para compartilhar um pouco de tudo que sabe e aprende todos os dias.

4 COMENTÁRIOS

  1. […] Desde muito cedo na minha carreira percebi que falar inglês era uma necessidade. Primeiro, quase perdi uma bolsa de estudos para fazer minha especialização porque eu precisava falar inglês para receber palestrantes internacionais nos congressos que eu organizava. Segundo, num destes eventos senti uma certa impotência pois eu não conseguia contribuir e aprender devido a barreira da língua. Foi quando decidi largar tudo e fazer o programa de Au Pair. […]

  2. Que lindo Waldana, muito obrigada por compartilhar o meu depoimento, adorei o modo que você o organizou. Feliz em contruibuir para o blog.

Fechado para comentários.