Uma das coisas que pesa no orçamento na hora de fazer um intercâmbio é a passagem aérea. Mas a notícia boa e que pouca gente sabe é que estudantes têm desconto na passagem. Neste post explicamos como funciona a tarifa de estudante, quais as vantagens em comprar este bilhete, como você pode se beneficiar, além de outras dicas pra você ficar atento antes de fazer sua viagem!

Passagem aérea para estudantes, como funciona?

Passagem aérea para estudantes
Passagem aérea de estudante

Para se beneficiar das passagens aéreas com desconto não basta ser estudante. O aluno precisa estar matriculado em um curso no exterior com duração de pelo menos duas semanas e deve ter entre 12 e 34 anos de idade.

Como conseguir uma passagem com desconto de estudante?

Não é possível obter a tarifa de estudante comprando o bilhete por conta própria na internet. O desconto é concedido para agências de intercâmbio. Como eles enviam diversos alunos para estudar em outros países, as agências conseguem barganhar um preço melhor com às companhias aéreas. Estes descontos podem chegar até 35%. 

Qual a vantagem de comprar a passagem com tarifa de estudante?

Além da tarifa ser menor, que pode trazer uma boa economia no orçamento final do intercâmbio, uma das principais vantagens são as multas caso o aluno queira alterar a data de retorno. As empresas costumam aplicar uma multa, e cobrar a diferença da tarifa no caso de alteração. Este valor muitas vezes é tão alto que a melhor opção nestes casos é “rasgar” o bilhete de volta e comprar uma nova passagem. No caso da tarifa de estudante, se o aluno optar por viajar ou estender o tempo de duração do curso, as multas não costumam ser aplicadas para a passagem de estudante.

Preciso obrigatoriamente ter a passagem de ida e volta?

Sim. Se você viaja com frequência deve perceber que o bilhete round-trip, que é de ida e volta geralmente sai mais em conta que uma perna só, ou one way e no caso de certos vistos como turismo ou estudante os oficiais de imiegração geralmente pedem para ver o bilhete de volta para se certificar que você não vai permanecer no país. Sim, você pode pagar e alterar o bilhete se quiser depois, mas além de se certificar que você tem planos de retornar, caso você barrado na imigração sem passagem de volta os custos de sua repatriação devem ser pagos pela empresa aérea que permitiu seu embarque só de ida na origem. Portanto, você precisa sim, comprar ida e volta.

As agências cobram pela emissão do bilhete de estudante?

Ultimamente as companhias aéreas quase não pagam comissão para as agências, então uma alternativa para elas não ficarem trabalhando de graça é cobrar dos alunos uma taxa de emissão da passagem. Algumas cobram $50/ $75 – $100. Afinal, não existe motivo pra trabalhar com passagens se não tem lucro algum, certo? Mas embora muitas agências esta taxa de emissão, geralmente o estudante têm direito a uma remarcação sem multa. Então, vale sim, pagar este extra pro agente. É uns $100 a mais que pode te trazer uma economia de mil em alguns meses. Outra vantagem é a validade, tarifas promocionais costumam ter validade de um a três meses, enquanto que um estudante pode retornar em até um ano.

Vale lembrar que você não necessariamente precisa comprar o curso com a agência para fechar uma tarifa de estudante com eles.

Quando comprar a passagem aérea?

Geralmente passagens com saídas nas terças acabam sendo mais em conta que nas sextas ou sábados, já que a procura é menor. Mas isto nem sempre acontece, o ideal é que o aluno avise a agência de intercâmbio com antecedência as datas que tem disponibilidade e os dias de sua preferência. exemplo: Preciso estar lá dia 20 de agosto, posso viajar entre 10 e 18, e minha preferência é dia 15. Assim, a pessoa responsável fica de olho e se a diferença for grande, vale voar pra um aeroporto próximo, pagar um dia a mais de hospedagem e por aí vai.  A agência geralmente consegue ajudar o estudante a decidir qual a melhor rota, tempo de espera, duração dos voos, entre outras coisas.

Fazer um stop na viagem

Outra coisa que poucas pessoas sabem é sobre o stop que é super difícil de fazer por conta própria. Como as agências trabalham com um sistema e ao invés de pegar voos prontos elas precisam digitar todos os detalhes dos trechos, elas te ajudam a fazer stops.

Como San Francisco, por exemplo, não tem voos diretos e é preciso fazer uma conexão, o estudante poderia vir via Miami, Los Angeles ou Nova Yorque, fazer um stop em uma destas cidades e continuar a viagem depois de uma semana sem pagar mais por isto. A maioria das empresas não cobra por stops nestes casos uma têm uma pequena taxa. Comprando multi-destinos por conta própria os valores da passagem geralmente ficam inviáveis.

Vem estudar nos Estados Unidos? Bora aproveitar as vantagens de ser um estudante!

 

Inspirada por uma das lições mais valiosas do Vale do Silício: dê o seu melhor que a vida retribui, resolveu juntar sua experiência no segmento educação internacional, seu amor por viagens e seu entusiamo por novos negócios criando o blog para compartilhar um pouco de tudo que sabe e aprende todos os dias.

Comentários

comentários

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here