Outro dia falamos sobre como se preparar para tornar sua viagem ao Silício mais produtiva. Depois de ler as dicas, ficar por dentro das pessoas que podem te ajudar com conexões e dos eventos que tem interesse em participar, o próximo passo é fazer o planejamento da sua viagem.

Como planejar sua viagem ao Vale do Silício

Uma vez que você sabe as datas para a sua viagem, é hora de planejar sua logística e fazer suas reservas.

Como se planejar para ir ao Vale do Silício
Como se planejar para ir ao Vale do Silício

Visto americano

Agora você pode solicitar o visto de turismo e negócios juntos. Uma vez que eles são aprovados o prazo de validade é de dez anos e geralmente o tempo de permanência concedido ao entrar no país são 6 meses. Se seus planos são ambiciosos como arrumar um emprego em uma empresa americana, ou mais ainda, trazer sua empresa pro Vale do Silício, é ótimo passar uma temporada para entender como “as coisas funcionam” para depois definitivamente poder planejar uma segunda etapa, que muitas vezes requer uma mudança de vida.

Leia também:

Passagem aérea e voos para San Francisco

San Francisco não possui nenhuma opção de voo direto, será necessário fazer conexão em algum lugar. Dallas e Los Angeles são as melhores opções de voos. Se você estiver comprando sua passagem por conta própria, precisa ficar atento ao tempo de conexão, pois será necessário fazer o processo de imigração. Tem pessoas que querem o prazo mais curto possível e pegam voos com menos de 2 horas para trocar de avião. Não tente atropelar as coisas e tenha tempo hábil para fazer este processo com calma. É cansativo, mas é muito melhor que correr o risco de perder o próximo voo. As companhias aéreas mais populares são American Airlines, Delta e United.

Cuide com as promoções na internet, o voo normal já é super cansativo, imagine se você vier com uma empresa Tabajara e num voo de 30 horas, ninguém merece! Se quiser aproveitar a viagem, descansar e passear, olhe as opções de stop. Aí sim, o voo para San Francisco, via Nova Iorque ou Miami de mais horas se torna prazeroso.

Note que também tem a opção de voar diretamente para o aeroporto de San Jose, a maior cidade do Vale do Silício. No entanto, como os voos para San Francisco são bem mais frequentes, são também muito mais em conta e quase todas as pessoas optam pelo SFO.

Translado do aeroporto para o Vale do Silício e San Francisco

San Francisco fica aproximadamente 1 hora do Vale do Silício, que é no sul da Baía de San Francisco. Neste post explico como funciona a Baía, conhecida como Bay Area. Se você vai se hospedar no Vale, pode pegar o BART e fazer a conexão com o Caltrain e facilmente estará em qualquer cidade do Vale do Silício, pagando em torno de $20. O Bart fica dentro do aeroporto e você precisa pegá-lo até a estação de Milbrae, ela faz integração com o Caltrain, basta mudar de plataforma. Se estiverem em duas pessoas, ou mais, uma das melhores opções é alugar um carro, faça a reserva com antecedência. Geralmente os alugueis para retirar o carro no aeroporto tem o valor mais baixo e o AirTrain no aeroporto já te conecta diretamente com as garagens. No entanto, se você for se hospedar em San Francisco, o carro pode ser a pior opção, pois o transporte público funciona bem e o melhor meio de se locomover na cidade.

Leia também:

Hospedagem

Para se hospedar, o importante é que sua acomodação tenha fácil acesso ao transporte público. San Francisco não faz parte do Vale do Silício, mas é onde a maioria dos eventos acontecem e grande parte das empresas tem um escritório por ali. A Union Square é a região mais central da cidade, com diversas opções de lojas, restaurantes, hotéis, hostels e até residências estudantis. Mas também é onde estão concentrados todos os turistas e muitos moradores de rua. Conheça melhor a região para ter certeza que este não é um inconveniente no seu caso. Bairros como Soma, Hayes Valley, Mission, North Beach são ótimos, super bem localizados e podem te proporcionar uma experiência bem mais agradável.

Assim como o serviço de Uber, aqui é muito comum as pessoas compartilharem suas casas para fazer uma renda extra, esta é uma maneira de você economizar e conhecer pessoas. Você pode alugar um quarto ou uma casa e isso é Business pra eles, você não vai invadir a privacidade de ninguém e não precisa ter medo, porque não vão mexer nas suas coisas, verifique as opções de quartos ou apartamentos no Airbnb! E se o objetivo é realmente conhecer outras pessoas verifique as opções dos co-living spaces, onde você se hospeda e pode trabalhar no mesmo ambiente. Tem hotéis que oferecem espaços com cozinha e podem ser mais confortáveis para quem fica mais tempo na cidade.

Considere também dividir a sua hospedagem, ficando alguns dias hospedado no Vale do Silício e outros em San Francisco, assim não precisa gastar tanto tempo e grana com o deslocamento. O trânsito entre San Francisco e o Vale é pra desanimar qualquer pessoa, pode tornar seu dia muito mais cansativo e estressante.

Leia mais:

Transporte de San Francisco para o Vale do Silício

O acesso via Caltrain é fácil, mas o trajeto pode consumir umas duas horas do seu dia. Alugar um carro? Depende. Se você vier com o objetivo de fazer turismo e conhecer várias empresas no Vale, ter um carro é essencial porque as empresas são bem afastadas. Mas se for reuniões esporádicas, pode ser bem mais prático usar os serviços de carros compartilhados. Agora, se você for ficar em San Francisco, esqueça o carro! San Francisco é uma cidade muito cara e além de ser difícil de estacionar, os estacionamentos são super caros, no centro financeiro da cidade chega a custar $20 a hora – um absurdo! Se você optar por alugar o carro, se certifique que seu hotel tem estacionamento incluso. Além disso, se você não tiver experiência para dirigir no exterior, é muito fácil de levar uma multa. O transporte público em San Francisco funciona muito bem, é super simples de se deslocar com o Muni que é o transporte MUNIcipal ou o Bart que é o trem que dá acesso a todas as cidades vizinhas. Além disso, o Uber e o Lyft são super práticos para se locomover em toda região independente de onde você se hospedar utilizar este serviço é uma excelente alternativa, aproveite seu tempo no aeroporto, baixe os aplicativos e cadastre-se.

Leia também:

Celular – você vai precisar dele

As pessoas vão pedir seu telefone o tempo inteiro. E por mais que internet de qualidade esteja disponível em qualquer café, nada como ter um número para se colocar à disposição para um contato importante ou para acessar o Google Maps quando está perdido, o Yelp para procurar por um restaurante, Enfim, não basta ter o aparelho, tem que ter o celular funcionando e disponível. Neste post explico sobre as operadoras e planos. Tem várias alternativas para utilizar seu celular do Brasil, mas comprar um chip e adquirir um plano pré-pago é a forma mais conveniente e econômica de ter telefone e internet.

Seu escritório temporário

Nada de se trancar dentro de um escritório. Não é pra isso que você veio! Em San Francisco e no Vale, tem um café em cada esquina e super comum, as pessoas passarem uma tarde lá, trabalhando e curtindo o ambiente. Os cafés também são super populares para uma reunião informal, empresas nascem em cafés por aqui. Além disso, todos eles tem internet gratuita e até café 😀

Muitos escritórios de coworking geralmente tem um café aberto ao público. Visite estes espaços, saiba que eventos estão acontecendo neles e se puder, participe! Além disso, a maioria deles oferece happy-hours com cerveja artesanal e petiscos, for free! Se aproxime mencionando que tem interesse em fazer parte do local, se tornar um futuro cliente, as pessoas vão ser bem mais receptivas, vão fazer um tour e você pode conhecer todo o local e empresas que fazem parte.

Considere também alugar uma mesinha e ter seu espaço temporário em um destes coworkings, vai ser ótimo para conhecer mais pessoas e trocar ideias. Grandes empresas geralmente tem salas nestes coworkings, uma forma estratégica para poder se aproximar de outros empreendedores, faça o mesmo para se aproximar delas, de possível parceiros e clientes. Outros oferecem também salas super equipadas que podem ser locadas para eventos. Muitos brasileiros já trabalham nestes lugares e podem te dar dicas, te apresentar pessoas, pergunte para os responsáveis quem são as empresas do Brasil ou as que têm negócios relacionados ao seu e peça para que te apresentem.

Agora também tem empresas como a VAGA, que é um Airbnb para profissionais nômades, a ideia é empreendedores, freelancers e outros profissionais possam locar um espaço por um determinado período, com um preço justo e sem se preocupar com toda a burocracia de um aluguel. Os escritórios podem inclusive ser decorados de acordo com o gosto do cliente. Quer surpreender, alugue um lugar e coloque a sua logo!

Como se portar nos eventos

Aproveite todas estas oportunidades para fazer networking e saiba como se portar nos eventos:

  • Não precisa utilizar terno e gravata, todo mundo usa jeans por aqui, mas primeira impressão é que a fica. Considere usar um blazer, uma camisa, um salto.
  • Utilizar o celular enquanto a pessoa está falando é considerado uma extrema falta de educação em qualquer lugar do mundo, se programe para olhar os e-mails do dia depois, principalmente se você está assistindo uma apresentação.
  • É comum as pessoas utilizarem etiquetas com o nome e empresa, certifique-se que a sua estará visível. Olhe nas etiquetas e chame as pessoas pelo nome.
  • Aperto de mão é levado à sério e é assim que todo mundo se cumprimenta. Nada de beijos e abraços. Deixe sua mão direita livre e aperte com firmeza sempre que for cumprimentar alguém.
  • O WhatsApp e Facebook é para fins pessoais, conecte-se primeiramente via LinkedIn.
  •  Se tiver oportunidade convide as pessoas para tomar um café, mas reserve meia hora para este fim, não meio-dia. As pessoas respeitam muito horário.
  • Pontualidade é uma questão de educação, não contribua para o fama do brasileiro que sempre chega tarde e se não tiver jeito, ligue para avisar que vai se atrasar.
  • A cerveja e vinho estão disponíveis em quase todos os eventos com o intuito que você relaxe e seja mais extrovertido. Mas saiba dos seus limites!
  • Tenha em mente sua call-to-action. CTA ou call to action significa chamada para a ação, certifique-se de terminar cada conversa com ela, por exemplo: Você se importaria se eu lhe apresentasse o João? Posso te adicionar no LinkedIn? Posso te enviar um e-mail para te lembrar de me enviar o artigo Z? Vamos tomar um café?

Aí vai a minha call-to-action: Gostou deste artigo? Curta e compartilhe! Tem outras dicas? Manda pra gente!

Inspirada por uma das lições mais valiosas do Vale do Silício: dê o seu melhor que a vida retribui, resolveu juntar sua experiência no segmento educação internacional, seu amor por viagens e seu entusiamo por novos negócios criando o blog para compartilhar um pouco de tudo que sabe e aprende todos os dias.